Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘marketing’

Não sou da área de recursos humanos, mas costumo contratar e pensar no assunto.

Há dois anos tenho participado mais da contratação na minha empresa. Na seleção de currículos e nas entrevistas. Como a minha empresa é pequena, muitas vezes contratar passa a ser uma questão pessoal, próxima.

O que percebo é que o desespero para conquistar uma vaga de trabalho é tanto que o candidato deixa de observar certas coisas…

Não é qualquer vaga de trabalho que serve. Não é qualquer empregador nem qualquer condição. Você tem que ter um mínimo de amor próprio e compostura!

Para começar, quando eu peço currículos para uma determinada função, por exemplo, função específica, serviços gerais ou camareira, eu, mesmo compreendendo que o Brasil está complexo, jamais vou contratar alguém formado, com curso superior, para a vaga. Nem tão pouco contratarei pessoas que não percebem as sutilezas da função ou gente que não consegue preencher um relatório mínimo.

Na hora da entrevista, o que eu quero saber?

Se a pessoa tem disposição e vontade para o cargo que vai ocupar e se a pessoa tem disponibilidade para emergências, para horas extras caso seja necessário… se a pessoa é bem humorada e se ela vai abracar o trabalho com garra e vontade e se a pessoa sabe relatar um problema e busca soluções.

Fica difícil em uma entrevista, você contratar desesperados, que chegam dizendo que fazem qualquer coisa, que precisam demais do emprego.

O desespero impede que a pessoa pense, claramente, que tipo de trabalho vai abraçar e se dará mesmo conta, ou não, dele.

Normalmente, aquele que diz que faz qualquer coisa acaba por não querer continuar o trabalho ou pior, acaba por gerar problemas no ambiente de trabalho pois vai reclamar sua insatisfação aos quatro cantos… insatisfação que, muitas vezes, não se relaciona com o empregador, mas com a própria condição escolhida pelo empregado.

Nenhuma vaga para emprego é para “quem topa fazer qualquer coisa”.

Existem limites, e esses limites quem tem que saber não é o contratante, mas o candidato. Esse não pode acreditar que vai entrar em um lugar para uma função de, digamos, “consertos e manutenção” (nenhum caso específico) e de lá vai atuar na cozinha criando pratos internacionais… este sequer vai ser escutado… se quer trabalho na cozinha, diga que quer trabalho na cozinha… mas não peça para trabalhar na manutenção que é certo que você não vai chegar lá.

Acontece? sim, raríssimas exceções…

Quer um conselho?

Pergunte antes o que querem de você, o que é que você vai fazer, que empresa é aquela e quais são as suas oportunidades futuras naquela empresa!

Algumas funções são mais amplas sim, principalmente em hotelaria, que é o meu ramo atual.

Essas vagas, muitas vezes são indefinidas em termos de cargos, mas não são para fazer qualquer coisa…tem muita coisa prá fazer em hotelaria, muita coisa que ainda nem foi explorada ou percebida. Esse tipo de vaga também exige que o candidato seja mais bem formado. Quando falo em “bem formado” não estou me referindo à cursos superiores ou MBA´s ou mestrados, mas à sua formação pessoal geral, sua cultura e conhecimentos gerais. Cargos com funções mais amplas exigem que você saiba se colocar e se enquadrar buscando os espaços de desenvolvimento na empresa (e para a empresa). Exigem que você encontre as oportunidades.

Oportunidade muitas vezes começa com um pequeno passo, mas pode levar por um longo caminho a um objetivo bem satisfatório. Enxergar as boas oportunidades de longo prazo é uma habilidade fundamental para esse tipo de cargo de função mais ampla e indefinida.

Experimentar e ter experiência são dois outros fatores importantes.

Entender que “o novo” tem que ser experimentado, ajustado, experimentado novamente e ajustado até que dê certo é fundamental. Ter a experiência de que é experimentando que se consegue resolver um problema faz parte… Não estou falando daquela experiência profissional que rotulam na sua cabeça com “ele sabe de tudo” ou “ele tem a manha”.

Penso que a pior coisa do mundo é aquele empregado ( sócio, contratado ou colaborador ) que começa com “isso não vai dar certo, pois já vi que fizeram isso e não deu certo”. Ora… não quero saber se deu certo ou não, eu quero é que encontremos a solução para que isso dê certo e vamos tentar, experimentar e descobrir o que fazer para dar certo.

Trabalho é que nem casamento: todo dia você decide se para ou continua, todo dia tem que valer a pena e todo dia tem problema para resolver… ou você se interessa pela solução do problema ou cai fora.

E, cá entre nós, toda vez que você cai fora de um problema ele não deixa de existir… apenas ele te grita para que você perceba a sua incapacidade de tentar resolver.

 

 

 

 

Anúncios

Read Full Post »

Não sou filósofo, nem vou discorrer aqui sobre significados do termo, outros já fizeram isso melhor que eu e você pode encontrar no pai dos burros online Wikicionário ou procurar um filósofo que o ajude…

Meu tema aqui hoje é basicamente marketing… sucesso ou fracasso profissional/empresarial.

Começarei com uma premissa errada: “O povo é burro mesmo” não sabe dar valor às melhores coisas que aparecem. Apenas uns poucos conseguem dar valor ao que essa empresa(pessoa ou produto) oferecem!

Pensador de Rodin...

Ao mesmo tempo os cases de sucesso são completas e totais falácias e quase nunca descrevem o verdadeiro motivo do sucesso (tenho razões para acreditar que, ou eles não sabem o motivo, ou não querem dizer).

Tenho diversos exemplos básicos, alguns ocorreram bem perto de mim ou até comigo mesmo…

Tive um cliente que trouxe para o Brasil um produto inovador em 1996, uma balança eletrônica que era o “bicho” de avançada, media massa gorda, massa magra, peso ideal… e o cliente não conseguiu vencer a balança tradicional, mesmo em um grande centro como o Rio de Janeiro. O cara era bom vendedor, dedicado ao produto e fez um trabalho de base muito bom.  Mas não deu certo na época. Ele dizia que era como se ele estivesse vendendo Eisbein no pé do São Carlos.

Se fosse joelho de porco com repolho estragado ele vendia como água… mas Eisbein, necas de pitibiribas! Povo burro, dizia ele…

Já estive apresentando trabalhos com características de inovação que desenvolvi e o cliente não aceitou, preferiu as opções “careta-formulinha”. Já desenvolvi um projeto e apresentei uma proposta muito avançada sobre supermercado online que estão na gaveta por não ter investidor.

(se, você, leitor, tiver hum milhão de reais, que pode ser investido em 12 parcelas mensais, e deseja desenvolver um empreendimento online de compra e venda de produtos de supermercado completamente inovador fale comigo que o projeto está pronto e só precisa de capital para implementação)

Na época, 1997, o gerente de informática de um supermercado que toparia realizar o investimento, disse que fazer a coisa em LINUX seria um absurdo… que não seria possível desenvolver e que ele só aceitaria se fosse em outro sistema operacional mais conhecido… hoje linux é o que é… muito melhor e muito mais seguro, mas… inovador é sempre uma coisa para quem tem coragem e não para quem vive à sombra de cópias…

Um carro de conceito, por exemplo,  é uma parafernália que nunca funcionou nem nunca vai funcionar, feito para que o público (leia-se trouxas) acredite que, ao comprar o carro velho de projeto ultrapassado e inseguro, que está aí nas lojas, ele está comprando o sonho do futuro e a tecnologia de ponta…

Mas voltemos ao caso da extemporaneidade e do marketing…

Recentemente presenciei um caso em uma escola. Uma escola pequena, com uma proposta extemporânea, menos de 14 crianças por turma, muita liberdade, muita provocação para o estímulo da aprendizagem, trabalho por projetos, liberdade de expressão, participação (solicitada e aceita) dos pais, viagens riquìssimas em conteúdo e forma, professores competentes, dedicados, propostas de uso de computador e internet em sala de aula, produção de conhecimento por parte da criança que descobre e faz, atendimento individualizado, avaliação individualizada, crianças ricas em conteúdo e materialmente, todas bem apoiadas pelos pais. Em uma casa espaçosa e confortável. Tudo para dar certo…

A concorrência tem 40 alunos por turma, não permitem o aluno se expressar, cheios de regras rígidas de comportamento, intervalos de recreio  exíguos (afinal eles estão lá para aprender), os professores “dão matéria”, o sistema é de produção/fábrica de aluno e a escola ainda diz que é a melhor… todos dizem… o problema, para mim, é o povo acreditar.

Neste lugar em que vivo, planeta terra, o povo já gosta de uma picaretagem… você apresenta uma proposta inovadora, demonstra que ela dá certo, mas o povo prefere as promessas encantadoras… seu filho vai passar no vestibular! Por mágica… aliás… como se passar no vestibular hoje em dia fosse algo ainda impossível como era há 30 anos atrás…

Mas na fantasia dos pais ainda é. E o picareta se utiliza das fantasias que estão em nossas mentes para nos atrair e nos roubar.

Sim, roubar… pois educação é uma coisa muito séria. A escola que estimula o aluno a ser rebanho está roubando a chance do aluno de mudar sua condição social e de crescer economicamente. Rouba a oportunidade de transformar a criança em um ser melhor e rouba a oportunidade da sociedade se tornar melhor.

Para quê?

Para manter as pessoas em seus lugares e a picaretagem poder continuar em todos os níveis… da vizinhança à política.

Mas retornando ao marketing… a escola é maravilhosa sim, inovadora sim, e o marketing dirá que a proposta é para um nicho que não existe neste lugar (entenda lugar como local físico, como época/espaço-tempo e como agrupamento de pessoas que ocupa o lugar).

Se você quer sucesso de marketing pegue seu produto/serviço maravilhoso e inovador, coloque nele uma cara de picaretagem, que o cliente perceba que é o que ele considera valor para as massas, apresente seu produto inovador como se ele fosse banal e igual a todos, crie historinhas de sucesso e mitos em volta do seu produto/serviço, estimule a cobiça e a inveja de todos com tratamentos diferenciados para clientes vip, alimente seu orgulho pessoal e se posicione como doador  e espere seus cofres encherem.

O mundo não está pronto para aceitar idéias inovadoras. Ninguém quer nada novo. Só se deseja o que o outro tem… mesmo sem saber o que é nem para que serve.

A propósito… os grandes artistas, filósofos, cientistas foram extemporâneos. Quase todos só foram reconhecidos após sua morte.

Cases de sucesso são grandes mentiras escritas de forma bonitinha para pegar trouxas. O que funciona em marketing é o fazer igual… quem faz diferente é crucificado.

Cases de sucesso?

 

 

 

 

 

 

 

 

O povo é burro mesmo… e mais burro ainda é quem não faz apenas o que o povo quer.

Lamento, mas é a lei do menor esforço e do maior lucro… se você quer algo diferente disso, junte-se a mim e construamos um nicho de pessoas extemporâneas que desejam um mundo mais justo e um marketing mais verdadeiro como no manifesto Cluetrain.

Abraços

Read Full Post »

Prezados,

Este é um post breve que pensei em fazer para denunciar o que se faz para conseguir alto índice de visitas nos blogs, no entanto é um procedimento que considero desleal e superficial.

É só o blogueiro escolher três temas da mídia que estão super na moda e postar uma ou duas frases em seu blog para ter seu blog “bombando” na página dos gráficos de mais visitados.

Os temas da semana são:

Capa da Playboy de aniversário com Cléo Pires

Capa da Playboy de aniversário com Cléo Pires

1- Fotos da Cléo Pires na Playboy: só de eu escrever aqui a frase “veja todas as fotos da Cléo Pires pelada na Playboy” já irá gerar uma quantidade superior a 1000 hits no meu gráfico de visitas.

Policiais investigam o caso

Policiais

2- Outro tipo de frase que hoje deve estar gerando mais visitas que site pornô é a seguinte: “entenda o que a Justiça conseguiu de provas no caso Eliza Samúdio e detalhes do processo”

3- A terceira frase que elevará ao céu as minhas visitas da semana pode ser inspirada nos “Detalhes do atropelamento do filho de Cissa Guimarães

Toda semana uma infinidade de blogueiros lançam mão desses artifícios para aumentar seu número de visitas e tentar conseguir patrocínio para seus blogs.

Se você pretende anunciar em blogs cuidado com os conteúdos dos mesmos. Você pode estar ligando o nome da sua empresa à gente que faz qualquer coisa para tomar o seu dinheiro.

E você que chegou aqui por causa destas palavras da moda na mídia, por favor, melhore sua vida assistindo menos jornalismo televisivo apelativo e comece a ler e a escrever mais, mesmo que seja na internet…

Fica a lição aos desavisados. Obrigado pela visita e deixe seus comentários por favor.

Palavrões serão editados e excluídos dos comentários. 🙂

Abraços

Read Full Post »

5 Dicas para manter-se autêntico e transparente no Twitter

 Postada por Michelle Bowles on Sep 28th, 2009 in Microblogging, Online Marketing, Social Media, Social Media Smarts, Social Networking traduzido por Rodrigo Vieira Ribeiro, sem autorização da autora, mas citada a fonte devidamente.

Como uma gota pura e transparente como devemos nos portar nas redes sociais

Como uma gota pura e transparente como devemos nos portar nas redes sociais

Prosseguindo com a minha preocupação pessoal em falar e entender sobre o twitter, hoje eu encontrei e produzi esta versão em português de dicas para marcas e empresas no twitter… considerando que marketing normalmente serve tb para as questões pessoais também, acredito que o que está colocado aqui serve para os usuários comuns e para professores que desejam usar o twitter como forma de aproximação de seus alunos ou até mesmo para os alunos que desejam se aproximar das disciplinas que seus professores usam o twitter.

Para os meus alunos de Publicidade e Propaganda e para os meus alunos de Jornalismo eu vejo essas dicas como fundamentais, não apenas para usar no twitter e sim para levar para a vida profissional como um todo.

Vamos às dicas:

****************************************************

Todo marqueteiro de sucesso, que fez sua mudança para as mídias sociais, irá relatar que as regras tradicionais do marketing precisam ser reexaminadas. Isto é particularmente verdade no Twitter, onde as marcas dispõe de apenas 140 caracteres para informar, invocar uma emoção e inspirar uma ação.

Quer a regra mais básica e crítica para as Marcas no Twitter? Seja autêntico e transparente em TUDO o que você fizer.

(nota do blogueiro de plantão: isso serve para tudo né?)

Veja estas 5 dicas para manter-se autêntico e transparente no Twitter:

1- Revele quem está por trás das mensagens. Isso não significa necessariamente dizer quem é o CEO (CEO – Chief Executive Officer  ou executivo-chefe de operações nas empresas Norte Americanas), o gerente para as mídias sociais ou um profissional de marketing interno. Isto significa dizer apenas que uma pessoa de fato é uma pessoa. Colocar um nome e um rosto por trás das suas mensagens no twitter por meio de uma foto ou de uma bio curta pode ajudar os seus seguidores a relatar e a conectar com sua marca.

A Kodak é um exemplo excelente de uma empresa que coloca a cara em sua marca no Twitter. A twiteira (adoro esses neologismos) oficial da companhia, blogueira chefe e gerente das mídias sociais Jennifer Cisney (@kodakcb), não deixa dúvidas sobre quem ela é e o que ela faz. Suas twitadas (mais um neologismo maravilhoso) possuem um saudável balanço entre sua personalidade brilhante e um tanto de informação irrelevante (por exemplo: “Sentada em meu sofá assistindo Desperate Housewives e comendo pipoca.)

2. Mostre alguma personalidade. Você não tem que ser sempre Negócios em Empreendimentos o tempo inteiro. Tenha alguma diversão com suas titadas contando histórias bem humoradas ou colocando um pouco de diversão pessoal agora e sempre.

Parte do que faz o “cabeça” das mídias sociais e e Twiterati (heheeh amo esse modo de inventar palavras e termos dos estadunidenses) Scott Monty(@scottmonty) da Ford Motor Co. muito popular e de sucesso pela sua habilidade de fazer seus seguidores se sentirem como um velho amigo da faculdade ou amigo da família. Sua bio conta aos seus seguidores que ele é “em geral, um cara legal”. Mas o que há de original em suas mensagens é uma combinação entre seu conhecimento de marketing, as novidades sobre automóveis e sobre a Ford e suas anedotas pessoais – vamos vê-lo em ação através deste vídeo(lamentavelmente em inglês sem legendas, mas se puder veja…): (Scott Monty video interview here)

3 Assuma quando você estiver errado. Com a explosão das redes sociais nestes poucos anos, as más decisões e o caos desafortunado são expostos muito mais rapidamente. Então, é importante para as marcas serem rápidas e mostrarem suas fraquezas para consertar a situação o mais breve possível. Uma vez dito, por que não transformar uma situação negativa em uma positiva?

Após você admitir um erro você também pode começar uma competição amigável entre seus seguidores sugerindo a eles que exponham seus “maiores momentos do -ih fiz merda”. Escolha, ou melhor, permita que seus seguidores votem, na melhor história. Ofereça algum tipo de incentivo ao vencedor, que pode ser um cupom de desconto, um produto grátis ou um certificado de presente.

4. Conheça seus seguidores. Deixe-se mostrar e deixe-os se apresentar: Seus seguidores— e clientes potenciais — possuem muito mais em suas mentes que apenas a sua marca. Pergunte aos seus seguidores sobre eles mesmos, adquira o senso de saber quem eles são e personalize suas respostas baseado nos detalhes pessoais de seus seguidores

No final, você não apenas será visto como uma marca autêntica e confiável no Twitter, você também terá obtido informações demográficas valiosas sobre seus clientes.

5. Não se deixe lever pelas suas conquistas. Através da tentativa e erro, experiência e um pouco de sorte, você, felizmente, irá encontrar muito sucesso em suas mídias sociais e seus esforços no Twitter. Mas não deixe isso lhe subir à cabeça. Tenha em mente que foram seus seguidores que lhe deram esse sucesso. Foi uma questão de relação, de duas vias e não apenas seu esforço pessoal.

Veja a entrevista do twiterati que foi considerado o que obteve mais sucesso usando o twitter como serviço de atendimento aos clientes: Frank Eliason (@comcastcares) do Comcast. Mas o que ele fez de relevante e útil para seus seguidores foi sua habilidade de se manter genuíno e modesto em meio à tanta popularidade.(Frank Eliason interview here)

Existe um sem número de modos de falhar enquanto tentamos efetivamente fazer marketing no Twitter, (aqui um link em inglês sobre dicas de como fazer mkt através do twitter) o uso das mídias sociais pelas empresas tem amadurecido para que um bom número de exemplos bem sucedidos já tenha emergido. Tome cuidado com o que funciona para os outros, são informações preciosas para ajudá-lo a desenvolver suas próprias e genuínas comunicações e experiência de marca com seus clientes nas redes sociais.

Agora eu pergunto a você: O que você tem feito para se manter autêntico e transparente no Twitter? Que experiências de sucesso você conhece nas mídias sociais que você pode compartilhar conosco aqui na A coisa é pessoal?

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: