Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Jornalismo’

Beca

Sr. Magnífico Reitor Genésio Zeferino,

Prezada Diretoria,

Queridíssimos Coordenadores,

Queridíssimo Paraninfo Dr. Professor Luiz Antônio Silva,

Srs e Sras, Alunos, Alunas, Pais, Filhos e audiência deste blog

Começo agradecendo a honra de ter sido escolhido para ser Patrono por esta turma que se forma no Curso de Publicidade e Propaganda na área de Comunicação do UNILESTEMG neste primeiro semestre de 2010.

Sou pai, tenho 4 filhos, e me orgulho deles da mesma forma que me orgulho destes que me escolheram para ser seu Padrinho de Profissão.

Padrinho é segundo pai e Pai é quem cria, quem orienta, quem inspira, quem dá a mão incondicional em todas as horas, ri junto, critica, aprende junto, chora e cresce junto com os filhos. E isso foi verdade nessa relação com esses profissionais que nascem hoje, desde o primeiro dia quando os conheci em sala de aula há quase 3 anos atrás.

Penso que ser professor é muito mais que apresentar conteúdos ou falar de questões profissionais ou institucionais. Acredito que só se consegue participar do aprendizado de alguém se houver a construção de uma “ponte segura” entre o aluno e o professor. Essa ponte deve ter duas mãos e significar a interação mútua nos moldes que define Alex Primo.

Essa ponte é a tão mal compreendida COMUNICAÇÃO em sua acepção máxima.

Nos alicerces dessa ponte estão o diálogo franco e direto, a honestidade na relação e a transparência de atitudes. Sem gritos, sem imposições, só acordos. Com esses filhos que me escolheram sempre houve o acordo e o consenso.

Considero que estou formando hoje (29/08/2010 – domingo) gente que, tenho completa certeza, serão os notáveis da comunicação muito em breve. Jornalistas e Publicitários que entenderam que a formação é mais importante que o talento inato, que não precisam do Diploma para trabalhar mas compreendem a necessidade dele e o que um Diploma significa.

São Profissionais que sabem sobre a teoria no nível de profundidade que os difere dos demais. Que sabem o quanto é importante inovar sem deixar de serem éticos ou honestos em suas atividades. Que pensam e sabem pensar a comunicação que produzem.

Que sabem levantar a voz contra as injustiças e ingerências e entenderam que Jornalismo e Publicidade são áreas que servem ao Bem. Que podem mudar o mundo através da comunicação e que a mudança começa dentro deles mesmos. Gente que sabe o valor das pessoas e não as usa como escada nem as descarta no primeiro momento de contrariedade.

Gente que aprendeu a ouvir críticas, pois fui um crítico severo sempre, e gente que aprendeu a criticar de forma correta, que entendeu que a crítica os tornou mais fortes e melhores.

Gente necessária à essa Sociedade da Informação.

Sociedade que dependerá exclusivamente da capacidade e do talento desses jovens de ter voz ativa e de fazer valer a democracia e a liberdade de expressão em todos os níveis, do emprego às relações familiares, da vida pública à vida privada.

Emocionado estou, no lugar de Pai, ao vê-los se tornar Jornalistas e Publicitários e saber, esperançoso, que vocês transformarão o mundo em algo melhor. Lembrem-se sempre deste Pai escolhido por vocês, eu sempre estarei disponível para ajudá-los no que for possível!

Convido a todos a orar pela estrutura administrativa e educacional do Unileste-MG, que vocês estão deixando, e a rogar à Deus que a livre dos maus profissionais que visam apenas os ganhos imediatos e pessoais. Que Ele livre a Instituição daqueles que não dão a devida atenção às responsabilidades sociais inerentes à uma estrutura educacional que é tida como a da maior e melhor Instituição de Ensino Superior Privado do Leste de Minas Gerais e que merece todas as bênçãos possíveis e imagináveis.

Que Deus abençoe a todos vocês e os coloquem em rota de colisão com o sucesso profissional que vocês todos merecem.

Obrigado a todos e os convido a mudar o mundo tendo como inspiração seus sonhos e ideais.

Abraços e Boa Sorte, vocês merecem!

Rodrigo Vieira Ribeiro – Patrono

Read Full Post »

Hoje cheguei na casa da minha mãe e peguei o jornal para ler.

Ler jornal impresso eu quase sempre leio, mesmo estando de saco cheio de ler o que eles pensam que é interessante colocar lá para que nós leiamos.

Se pegarmos os jornais brasileiros (qualquer um grande jornal do Rio, de SP, ou de MG) e fizermos uma retrospectiva dos, não vou muito longe, últimos 10 anos, só leremos manchetes alarmistas e pessimistas de todo tipo, sem falar nas notícias de violência que deixarei para uma outra oportunidade.

Se o dólar subiu: Desgraça! Tudo vai ficar mais caro, os importadores precisam compensar as perdas e vão descarregar no consumidor!

Se o dólar caiu: Desgraça! Os exportadores terão prejuízo e precisarão de incentivos fiscais ou de ampliação para pagamento de suas dívidas!

Se o dólar ficou estável: Desgraça! O País não cresce e sem crescimento o desemprego aumenta…

Se o PIB caiu: Desgraça! A Economia do País retraiu e haverá desemprego…

Se o PIB subiu: Desgraça! Aumentou o consumo e os preços vão subir…

Se o Banco Central intervém: Desgraça! As reservas do País estão sendo dilapidadas. O Governo não deve intervir na Economia…

Se o Banco Central não intervém: Desgraça! Onde isso vai parar? O Governo precisa intervir…

E vai por assim adiante em uma infinita lista de exemplos, inflação, marolinha, empregos públicos, empregos privados, custo Brasil, agribusiness, montadoras, aço, FMI, Crise Européia, Crise Estadunidense, Ameaça Asiática, H1N1, Alimentação, SUS, Eleição…

um gato tentando se matar por todos os meios possíveis... só faltou tentar o noticiário...

um gato tentando se matar por todos os meios possíveis... só faltou tentar o noticiário...

Os Jornais estão craques (mesmo sendo o Dunga contra craques) encontrar e entrevistar especialistas que apresentam os piores cenários com aquelas caras de “eu falei que ia acontecer” igualzinho a mãe Dinah.

Aprendi na vida que “jornalismo seria publicar o fato”, mas sabemos que os interesses levam às versões do fato e sabemos também que os jornais publicam aquilo que eles pensam que fará as pessoas comprarem os jornais.

Assim o pessimismo da população é alimentado pelas notícias pessimistas veiculadas no jornal. A sociedade, com o jornalismo contemporâneo,  passou a gostar de ver desgraça em tudo… eu acho mais divertido ver conspirações…vou parar de ler jornais e só vou ler blogs de agora em diante.

Aliás… por falar em pessimismo: os blogs são o maior motivo que assombra os jornais de grande porte e os grandes jornalistas constituídos. Blogs estão gerando um sábio pessimismo na profissão entre os grandes, vale ler esse relatório (em português a postagem de blog onde encontrei o material, of course) da  Pew Project for Excellence in Journalism (in english please…)

Mas os pequenos que não forem pessimistas e entenderem o recado… esses sim, terão a chave do sucesso!

Cada um se diverte com o que pode, não é?

Rodrigo Vieira Ribeiro

Read Full Post »

Todas as manhãs, quando vou levar minhas crianças na escola ligo o rádio do carro e escuto um programa jornalístico na FM JOVEM PAN, não porque eu gosto da rádio e sim porque onde eu moro só tem essa rádio com um programa jornalístico aceitável.

Sempre lamento muito a perda de tempo jornalístico com informações inúteis, para mim, sobre o trânsito de São Paulo e sobre o tempo em umas poucas capitais brasileiras. Ora, esse tipo de notícia é para ser dada pelo noticiário local e não na rede nacional. Para mim isso é mais que óbvio.

Trânsito nas Capitais?

Prá que que eu quero saber isso?

Lamento que outras emissoras, inclusive de TV, procedam da mesma forma, usando as transmissões nacionais para falar de crimes, trânsito e tempo de capitais como SP ou RJ, ocupando o tempo precioso do noticiário nacional com assuntos locais de capitais distantes.

Violência local no noticiário local

Para que que eu, no interior do Brasil, quero saber sobre as favelas no RJ ou SP?

ALOUÔ! Vai falar do lixo local, fala em noticiário local, não me interessa saber sobre o traficante do morro tal na favela qual do Rio ou de São Paulo.

Aqui onde moro também tem crimes e eles não saem no noticiário nacional… não me interessa de forma alguma esse tipo de notícia que toma 10 a 15 minutos do tempo de todos nós.

Mas o que me irrita mesmo no noticiário nacional da JOVEM PAN são exclusivamente 2 coisas…

A primeira, mais antiga e mais irritante é a vinheta do programa Pânico. Nada contra o programa, até é um momento interessante de descontração dos locutores que o povo assiste como reality show. Mas a vinheta é a mesma há pelo menos 2 anos!

Será que eles não tem criatividade para mudar uma vinheta de um programa ou não tem dinheiro para gravar uma nova? Um verdadeiro saco!  Dois dedões para baixo para a repetição interminável de vinhetas irritantes pela programação! Mudem essa MERDA logo!

A outra coisa irritante são os blocos de pseudo-protesto da rádio, sempre com argumentação imbecilizante e pobre, como se estivesse lá apenas para gastar o tempo disponível do noticiário. O pseudo-protesto que está sendo veiculado agora é contra o programa “A VOZ DO BRASIL”.

Eu acho legal...gosto muito!

Pela continuidade da Voz do Brasil

 

 

 

 

Brigam contra a obrigatoriedade do programa, e usam os argumentos mais pobres que se pode usar… comparam o programa à propaganda nazista, sem no entanto terem argumentos que os permitam fazer essa comparação, já que a propaganda nazista tinha um objetivo muito diferente e foi um recurso de um governo totalitário de alcançar seu público.

Ora, o cara pode falar o que ele quiser no veículo dele, concordo, liberdade de expressão é o que todos nós desejamos, mas fazer críticas baratas que imbecilizam o adolescente que pode estar escutando o rádio é quase o mesmo que usar o veículo como recurso totalitarista de governo, mesmas armas, mesmos formatos.

Considero “A VOZ DO BRASIL” como um excelente veículo de informação e acima de tudo, um veículo capaz de apresentar diariamente a versão das coisas que são feitas lá no planalto central.

Se o povo escutasse mais “A VOZ DO BRASIL” talvez soubesse escolher melhor na hora de votar.

Diariamente poemos ouvir o que os nossos políticos dizem nas plenárias, escutamos sobre as decisões do Supremo, sobre os programas sociais do governo e muito mais.

O argumento do rádio contra o programa “A VOZ DO BRASIL” é que existe informação em todos os lugares, nas rádios, nas TVs e na internet. No entanto, menos de 1/4 da população brasileira tem acesso à internet. Os noticiários dos veículos de massa só transmitem notícias inúteis sobre violência, desgraças e trânsito nas capitais onde estão suas sedes esquecendo que existe um Brasil imenso que precisa saber sobre as ações do Governo, da Câmara e do Senado e finalmente do Judiciário.

Se me perguntarem… voto pela continuação da obrigatoriedade da “A VOZ DO BRASIL”, pois quem sabe que é útil ou precisa ouvir as notícias sobre os Três Poderes tem neste programa a garantia de saber o que acontece. É um recurso de utilidade pública e de formação de cidadania.

Se me perguntarem… voto por uma lei de mídia que exija que as grandes redes tenham noticiários locais e que empreguem jornalistas locais em quantidade suficiente para cobrir as questões locais com qualidade e utilidade.  Que essa lei de mídia contemple a formação de comissões locais de ética e de observação da imprensa com representantes da população, do governo e dos órgãos de classe. Comissões que atuem e autuem os abusos e descasos, e principalmente os factóides irresponsáveis.

Se me perguntarem… que seja limitado o número de repetições de vinhetas e que elas tenham prazo de validade como os enlatados do supermercado.

Mas ninguém me perguntou né? Quando me perguntarem eu digo!

Abraços

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: