Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Economia’

Já pensou se ainda ganhássemos maçãs?

quer uma maçã?

Não sou economista, mas penso muito sobre o assunto..e isso não me faz mais que um curioso.

Como disse George Bernard Shaw:

“Se você tem uma maçã e eu tenho uma maçã, e nós trocamos as maçãs, então você e eu ainda teremos uma maçã. Mas se você tem uma idéia e eu tenho uma idéia, e nós trocamos essas idéias, então cada um de nós terá duas idéias.”

Gosto dessa frase porque ela demonstra que o capital inerente ao conhecimento e à informação tem mais valor para a sociedade que o capital inerente aos bens de consumo e aos bens duráveis. A troca de informações e a colaboração gerariam mais recursos que a troca ou produção de produtos de consumo ou bens duráveis.

Penso que essa frase define o valor da internet.
A interação entre conhecimentos e saberes permitiria a possibilidade de uma distribuição mais ampliada de renda através da troca de expertises locais e globais e também aumentaria a possibilidade efetiva de ampliação do capital mundial ou PIB.

Esse fenômeno foi demonstrado na bolha da bolsa o final da década de 90 e depois no crescimento constante e “seguro” da NASDAQ na primeira década do séc. XXI.

Percebi que a crise de “credibilidade” americana da última década foi minimizada pela possibilidade de fluxo de informação global neste mundo altamente conectado  que, na verdade, atuou como uma descarga de problemas distribuindo o prejuízo por todas as bolsas de valores e empresas de resseguro do mundo, alcançando e levando essa crise à todas as economias nacionais conectadas de alguma forma com a economia Estadunidense.

Em contrapartida os Países menos atingidos pela crise, foram aqueles que, naquele momento, estavam com seu capital mais ligado à produção de bens de consumo e bens duráveis, como o Brasil por exemplo.

Economia Global

O que eu concluo da relação Internet/Economia da Informação-conhecimento versus Economia tradicional é que a credibilidade sobre o “palpável” é menos abalável que a “credibilidade sobre as ideias trocáveis”.

No entanto, esse capítulo da história nos permitiu perceber que as relações de transparência entre governos em um mundo altamente conectado são fundamentais e que a credibilidade, em um mundo assim, é mais volátil e depende de relações confiáveis e intenções mais honestas e duradouras.

Que venha o mundo novo, mais justo e mais honesto, com informações e governos mais confiáveis!
Uma proposta e uma pergunta pessoal: Vamos trocar ideias ou maçãs?

Anúncios

Read Full Post »

Vou dar meu depoimento pessoal sobre o que vivi nesses dois governos e o que vi muitas vezes parece que só eu vi ou vivi… e quem está por aí parece viver em uma redoma de vidro com lentes distorcidas… mas posso ser eu a pessoa com as lentes distorcidas…

Desde 1991 eu tenho agência de propaganda, tenho não… tive… sempre foi uma agência pequena, para pequenas e médias empresas que trabalhava com um mercado emergente que não tinha verba para propaganda broadcast e precisava lançar mão de campanhas alternativas.

 

 

Guardada por razões histórico-sentimentais... mas fechada desde 2001

 

Quando comecei vivíamos a confusão da inflação sem medidas e os preços de serviços eram cotados em dólar.

Naquela época eu ganhava dinheiro, muito dinheiro, pois os valores eram segurados pela moeda estrangeira e os empresários pequenos e médios tinham, apesar da inflação, ganhos substanciais com o atraso de pagamentos e o investimento no que se chamava “overnight” imagino que isso dava a sobra que eles precisavam para investir em propaganda com alguma tranqüilidade.

Com o advento do plano real, eu festejei a estabilização da economia e quebrei, pois o pequeno e médio empresário não tinha mais verba para investir em propaganda, fiquei 1 ano e meio consumindo minhas reservas na esperança de um reaquecimento da economia que nunca ocorreu…

Em 1997 eu, quebrado, reinventei meus serviços baixando custos e preços, já que meus custos continuavam em dólar e eu recebia em real eu procurei eliminar meus custos para poder ter um preço novamente acessível… desta forma passei a trabalhar por 1/4 do preço original… o que era péssimo, pois eu e meu sócio trabalhávamos 24h por dia de segunda a segunda para poder, minimamente, pagar as contas…

No final do governo FHC o dólar chegou à 3 reais… e ninguém fala nisso… e os impostos continuavam altíssimos, as multas por atraso de impostos tb eram avassaladoras e em 2001 eu fechei as portas da minha agência definitivamente.

Era impossível manter o trabalho e pagar as contas com a economia do jeito que estava, nenhum pequeno ou médio empresário se arriscava a fazer contratos de médio ou longo termo por não saber como seria o futuro…

Resultado, quebrei 2 vezes com o FHC/PSDB. E meus antigos clientes ficaram sofrendo duras penas sem conseguir crescer no período de 1994/95 a 2002.

 

 

Compare sua vida antes e depois...

 

Depois disso no novo governo as coisas foram se acertando, surgiram empregos e os negócios se reestruturaram. Meus antigos clientes até voltaram a me procurar, mas eu não estava mais disposto a investir novamente em um negócio próprio.

Nestes últimos 8 anos o que vi foram passos de crescimento e estabilização seguros, redução do desemprego e reaquecimento da economia.

Não posso crer que em 8 anos de FHC a política da terra arrazada tenha sido a base para o crescimento no governo Lula… aliás, acredito que se o governo FHC tem algum mérito na estabilização da economia foi o de ter saído e deixado o governo Lula trabalhar…

Não sou economista, não sou político, não tenho predileção por nenhum partido, mas atualmente vejo que o Brasil está melhor e não quero que o PSDB junto com o DEM retornem.

Pode ser mero medo de perder tudo outra vez, e até bobagem minha… mas sou grato à estabilidade do governo PT/PMDB.

O que vejo é o país crescendo e o povo reduzindo seu grau de pobreza, com melhoras na Saúde e na Educação e isso não foi feito pelo PSDB.

O PT/PMDB poderia ter feito mais?

Sim, claro. Sempre se pode fazer mais.

Há roubo? Nem precisam me provar judicialmente que eu não sei, mas acredito que há… até nos países do primeiro mundo há roubo…

Mas os níveis de roubo podem ser medidos indiretamente através do nível de desemprego, da inflação, da emissão de moeda, dívida interna e dívida externa e pelo que vi… são os melhores índices que o Brasil já teve desde Pedro II.

Esses índices mostram que esses que hoje aí estão no governo não são perfeitos, mas são os mais baratos que tivemos até hoje… até arrumarem um mais barato eu não quero mudar de governo!

Abraços

Rodrigo Vieira Ribeiro

PS: Por favor… antes de comentarem que “este é o governo mais corrupto que o Brasil já teve” por favor porcurem as notícias sobre corrupção nos governos brasileiros desde o início da República para trazer o dado correto…

Adorei o nível das discussões neste post. Aprendi muito aqui e esclareci muitas idéias que já estavam na minha cabeça mas precisavam presenciar um debate como este aqui para serem consolidadas. 

Vou dar meu depoimento pessoal sobre o que vivi nesses dois governos e o que vi muitas vezes parece que só eu vi ou vivi… e quem está por aí parece viver em uma redoma de vidro com lentes distorcidas… mas posso ser eu a pessoa com as lentes distorcidas…

Desde 1991 eu tenho agência de propaganda, tenho não… tive… sempre foi uma agência pequena, para pequenos e médias empresas que trabalhava com um mercado emergente que não tinha verba para propaganda broadcast e precisava lançar mão de campanhas alternativas.

Quando comecei vivíamos a confusão da inflação sem medidas e os preços de serviços eram quotados em dólar.

Naquela época eu ganhava dinheiro, muito dinheiro, pois os valores eram segurados pela moeda estrangeira e os empresários pequenos e médios tinham, apesar da inflação, ganhos bem substanciais com o atraso de pagamentos e o investimento no que se chamava “overnight” imagino que isso dava a sobra que eles precisavam para investir em propaganda com alguma tranquilidade.

Com o advento do plano real, eu festejei a estabilização da economia e quebrei, pois o pequeno e médio empresário não tinha mais verba para investir em propaganda, fiquei 1 ano e meio consumindo minhas reservas na esperança de um reaquecimento da economia que nunca ocorreu…

Em 1997 eu, quebrado, reinventei meus serviços baixando custos e preços, já que meus custos continuavam em dólar e eu recebia em real eu procurei eliminar meus custos para poder ter um preço novamente acessível… desta forma passei a trabalhar por 1/4 do preço original… péssimo, pois eu e meu sócio trabalhávamos 24h por dia de segunda a segunda para poder pagar as contas…

No final do governo FHC o dólar chegou à 3 reais… e ninguém fala nisso… e os impostos continuavam altíssimos, as multas por atraso de impostos tb eram avassaladoras e em 2001 eu fechei as portas da minha agência definitivamente. Era impossível manter o trabalho e pagar as contas com a economia do jeito que estava, nenhum pequeno ou médio empresário se arriscava a fazer contratos de medio ou longo termo por não saber como seria o futuro…

Resultado, quebrei 2 vezes com o FHC/PSDB. E meus antigos clientes ficaram sofrendo duras penas sem conseguir crescer no período de 1994/95 a 2002.

Depois disso no novo governo as coisas foram se acertanto, surgiram empregos e os negócios se reestruturaram. Meus antigos clientes até voltaram a me procurar, mas eu não estava mais disposto a investir novamente em um negócio próprio.

Nestes últimos 8 anos o que vi foram passos de crescimento e estabilização seguros, redução do desemprego e aquecimento da economia.

Não posso crer que em 8 anos de FHC a política da terra arrazada tenha sido a base para o crescimento no governo Lula… aliás, acredito que se o governo FHC tem algum mérito na estabilização da economia foi o de ter saído e deixado o governo Lula trabalhar…

Não sou economista, não sou político, não tenho predileção por nenhum partido, mas atualmente vejo que o Brasil está melhor e não quero que o PSDB junto com o DEM retornem. Pode ser mero medo de perder tudo outra vez, e até bobagem minha… mas sou grato à estabilidade do governo PT/PMDB.

Se os dados aí em cima são certos ou não…não está na minha competência avaliar, o que vejo é o país crescendo e o povo reduzindo seu grau de pobreza, com melhoras na Saúde e na Educação e isso não foi feito pelo PSDB.

Poderia ter sido feito mais? Sim, claro. Sempre se pode fazer mais. Há roubo? Nem precisam me provar judicialmente que eu sei que há… até nos países do primeiro mundo há roubo… mas os níveis de roubo podem ser medidos através do nível de desemprego, da inflação, dívida interna e dívida externa e pelo que vejo… são os melhores índices que o Brasil já teve desde Pedro II.

Esses índices mostram que esses que hoje aí estão no governo não são perfeitos, mas são os mais baratos que tivemos até hoje… até arrumarem um mais barato eu não quero mudar de governo!

Abraços
Rodrigo Vieira Ribeiro
https://acoisaehpessoal.wordpress.com

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: