Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Roubo?’ Category

Para mim a coisa é pessoal mesmo, não acredito em ficar de fora das decisões ou me omitir. Em cima do muro JAMAIS.

Por este e outros motivos hoje postei uma carta no “fale conosco” do Congresso Nacional para todos os Deputados.

Como está na moda, eu vazo esta carta aqui no meu blog de segunda mão…
Acabei de enviar uma mensagem no Fale Conosco da Camara dos Deputados.
A mensagem foi esta:
Prezados Srs. Deputados,

Esta é apenas mais uma mensagem, dentre tantas milhares que vocês já receberam e ainda receberão até domingo.

Peço que abram os olhos para além, para o futuro, não acreditem nas ameaças que vocês estão sofrendo, não aceitem acordos destes que estão comprometidos com a Justiça e querem livrar a cara derrubando a nossa democracia sob o pretexto de moralizar o que não precisa ser moralizado.

Pensem no Povo brasileiro, pensem que eles votaram em Dilma Roussef para reconduzí-la ao cargo. Pensem nos seus filhos e netos, que viverão em um País mais justo e democrático se permitirmos levar adiante TODAS as investigações e julgamentos até o fim, sem arquivamentos, sem “livrar a cara de ninguém que seja comprometido com a corrupção”, sem esconder ninguém debaixo dos panos com arcordos espúreos.

Pensem que vocês agora tem a chance de deixar o Brasil crescer novamente e manter os direitos do Povo, direitos do Trabalhador, direito dos Aposentados e dos Jovens na Escola.

Não permitam que este GOLPE em andamento siga em frente. Vote contra o Impeachment. Se você está indeciso pense que muita gente do povo está enganada pela mídia, que deve fortunas à Receita Federal e pretende não pagar o que deve, essa gente vai ter oportunidade de ser esclarecida quando os processos de cobrança chegarem ao final e as empresas tiverem que pagar os impostos devidos.

Se você já decidiu à favor, pense, ainda há tempo para mudar seu voto, se você é honesto e não está comprometido com as falcatruas, mude seu voto, você não precisa votar e se atolar na lama com quem é mal intencionado e pretende vender o Brasil e destruir tudo o que funciona e presta nesta Nação que retirou 40 milhões de pessoas do nível de pobreza.

Tenha orgulho do seu Brasil, proteja seu eleitor. Ele vai ficar do seu lado quando entender quem são os reais criminosos no Brasil. Proteja seu País. A luta hoje não é ideológica, é econômica.

Quarenta milhões de pessoas saindo da pobreza ajudarão a fazer o Brasil crescer ao invés de serem um problema.

Diga Não ao Golpe, Diga Não ao IMPEACHMENT.

Abraços
Rodrigo

Anúncios

Read Full Post »

Não sou filósofo, nem vou discorrer aqui sobre significados do termo, outros já fizeram isso melhor que eu e você pode encontrar no pai dos burros online Wikicionário ou procurar um filósofo que o ajude…

Meu tema aqui hoje é basicamente marketing… sucesso ou fracasso profissional/empresarial.

Começarei com uma premissa errada: “O povo é burro mesmo” não sabe dar valor às melhores coisas que aparecem. Apenas uns poucos conseguem dar valor ao que essa empresa(pessoa ou produto) oferecem!

Pensador de Rodin...

Ao mesmo tempo os cases de sucesso são completas e totais falácias e quase nunca descrevem o verdadeiro motivo do sucesso (tenho razões para acreditar que, ou eles não sabem o motivo, ou não querem dizer).

Tenho diversos exemplos básicos, alguns ocorreram bem perto de mim ou até comigo mesmo…

Tive um cliente que trouxe para o Brasil um produto inovador em 1996, uma balança eletrônica que era o “bicho” de avançada, media massa gorda, massa magra, peso ideal… e o cliente não conseguiu vencer a balança tradicional, mesmo em um grande centro como o Rio de Janeiro. O cara era bom vendedor, dedicado ao produto e fez um trabalho de base muito bom.  Mas não deu certo na época. Ele dizia que era como se ele estivesse vendendo Eisbein no pé do São Carlos.

Se fosse joelho de porco com repolho estragado ele vendia como água… mas Eisbein, necas de pitibiribas! Povo burro, dizia ele…

Já estive apresentando trabalhos com características de inovação que desenvolvi e o cliente não aceitou, preferiu as opções “careta-formulinha”. Já desenvolvi um projeto e apresentei uma proposta muito avançada sobre supermercado online que estão na gaveta por não ter investidor.

(se, você, leitor, tiver hum milhão de reais, que pode ser investido em 12 parcelas mensais, e deseja desenvolver um empreendimento online de compra e venda de produtos de supermercado completamente inovador fale comigo que o projeto está pronto e só precisa de capital para implementação)

Na época, 1997, o gerente de informática de um supermercado que toparia realizar o investimento, disse que fazer a coisa em LINUX seria um absurdo… que não seria possível desenvolver e que ele só aceitaria se fosse em outro sistema operacional mais conhecido… hoje linux é o que é… muito melhor e muito mais seguro, mas… inovador é sempre uma coisa para quem tem coragem e não para quem vive à sombra de cópias…

Um carro de conceito, por exemplo,  é uma parafernália que nunca funcionou nem nunca vai funcionar, feito para que o público (leia-se trouxas) acredite que, ao comprar o carro velho de projeto ultrapassado e inseguro, que está aí nas lojas, ele está comprando o sonho do futuro e a tecnologia de ponta…

Mas voltemos ao caso da extemporaneidade e do marketing…

Recentemente presenciei um caso em uma escola. Uma escola pequena, com uma proposta extemporânea, menos de 14 crianças por turma, muita liberdade, muita provocação para o estímulo da aprendizagem, trabalho por projetos, liberdade de expressão, participação (solicitada e aceita) dos pais, viagens riquìssimas em conteúdo e forma, professores competentes, dedicados, propostas de uso de computador e internet em sala de aula, produção de conhecimento por parte da criança que descobre e faz, atendimento individualizado, avaliação individualizada, crianças ricas em conteúdo e materialmente, todas bem apoiadas pelos pais. Em uma casa espaçosa e confortável. Tudo para dar certo…

A concorrência tem 40 alunos por turma, não permitem o aluno se expressar, cheios de regras rígidas de comportamento, intervalos de recreio  exíguos (afinal eles estão lá para aprender), os professores “dão matéria”, o sistema é de produção/fábrica de aluno e a escola ainda diz que é a melhor… todos dizem… o problema, para mim, é o povo acreditar.

Neste lugar em que vivo, planeta terra, o povo já gosta de uma picaretagem… você apresenta uma proposta inovadora, demonstra que ela dá certo, mas o povo prefere as promessas encantadoras… seu filho vai passar no vestibular! Por mágica… aliás… como se passar no vestibular hoje em dia fosse algo ainda impossível como era há 30 anos atrás…

Mas na fantasia dos pais ainda é. E o picareta se utiliza das fantasias que estão em nossas mentes para nos atrair e nos roubar.

Sim, roubar… pois educação é uma coisa muito séria. A escola que estimula o aluno a ser rebanho está roubando a chance do aluno de mudar sua condição social e de crescer economicamente. Rouba a oportunidade de transformar a criança em um ser melhor e rouba a oportunidade da sociedade se tornar melhor.

Para quê?

Para manter as pessoas em seus lugares e a picaretagem poder continuar em todos os níveis… da vizinhança à política.

Mas retornando ao marketing… a escola é maravilhosa sim, inovadora sim, e o marketing dirá que a proposta é para um nicho que não existe neste lugar (entenda lugar como local físico, como época/espaço-tempo e como agrupamento de pessoas que ocupa o lugar).

Se você quer sucesso de marketing pegue seu produto/serviço maravilhoso e inovador, coloque nele uma cara de picaretagem, que o cliente perceba que é o que ele considera valor para as massas, apresente seu produto inovador como se ele fosse banal e igual a todos, crie historinhas de sucesso e mitos em volta do seu produto/serviço, estimule a cobiça e a inveja de todos com tratamentos diferenciados para clientes vip, alimente seu orgulho pessoal e se posicione como doador  e espere seus cofres encherem.

O mundo não está pronto para aceitar idéias inovadoras. Ninguém quer nada novo. Só se deseja o que o outro tem… mesmo sem saber o que é nem para que serve.

A propósito… os grandes artistas, filósofos, cientistas foram extemporâneos. Quase todos só foram reconhecidos após sua morte.

Cases de sucesso são grandes mentiras escritas de forma bonitinha para pegar trouxas. O que funciona em marketing é o fazer igual… quem faz diferente é crucificado.

Cases de sucesso?

 

 

 

 

 

 

 

 

O povo é burro mesmo… e mais burro ainda é quem não faz apenas o que o povo quer.

Lamento, mas é a lei do menor esforço e do maior lucro… se você quer algo diferente disso, junte-se a mim e construamos um nicho de pessoas extemporâneas que desejam um mundo mais justo e um marketing mais verdadeiro como no manifesto Cluetrain.

Abraços

Read Full Post »

Somewere...

Aqui em casa ontem, logo depois que a empregada pediu demissão apareceu um arco-íris duplo que fotografei… não sei se isso significa alguma coisa, mas na hora que atribuímos alguma ligação entre as coisas passa a valer o significado, não é?

Chuva e mortes na TV.

Comparam-se as chuvas na região serrana do Rio de Janeiro com o terremoro no Haiti. Comparação pobre e tão óbvia que eles colocaram as notícias em sequência ontem no BANDNEWS…

Políticos aparecem, mentindo descaradamente, com declarações do tipo “essa é a pior chuva de todos os tempos” sem que haja comparação ou dados que corroborem a informação… ou do tipo “Nenhuma cidade aguentaria uma chuva destas”, tirando o corpo fora da responsabilidade de ter feito obras para antecipar um problema que ocorre todos os anos ou de não ter fiscalizado as construções irregulares em locais não recomendáveis por causa das encostas e margem de rios… ano passado foi igual em Angra, alguém se lembra?

Os jornalistas fazem descrições banais das cenas apresentadas “Aqui uma garagem cheia de lama e pessoas limpando a garagem, ao lado mais lama, alí um prédio que desabou”, pelamordeDeus, esses caras foram formados aonde?????? São ficcionistas paupérrimos! E jornalistas incompetentes…

Nenhuma informação coletada, nada significativo, mera descrição das cenas que todos estão vendo. Cadê o contexto? Cadê a crítica? Cadê a denúncia? Isso é o “novo” jornalismo?

Do helicóptero uma jornalista filma pessoas acenando para o aparelho e comenta “- Pessoas desesperadas pedem auxílio acenando para o helicóptero”.

Ooh, Dude, your fuck imagination sucks!

A fatalidade não é a chuva… a fatalidade está em duas situações originárias: (1) má formação do jornalista e a pior (2) safadeza político-administrativa.

Completo a fatalidade com mais 2 interesses imediatos ligados às situações: (1a) o lado “financista” das mídias que precisam vender anúncios e apoio político e (2a) Poder Político que aparece como salvador da contingência que é, por fim, resultado da ingerência.

(isso me lembrou a máfia… “-paga que nós vamos te proteger… de quem? de nós mesmos ora!)
Vítima: o povo que morreu ou ficou desabrigado e suas famílias.

Como sempre né?

As instituições que deveriam defender os direitos e interesses do povo se omitem e colaboram para a desgraça. Não se posicionam, não cobram de quem deve ser cobrado, não acionam os mecanismos legais e tratam da situação comodamente como se fosse um terremoto, uma catástrofe natural…

Se alguém quiser acreditar que chuva, que acontece todo ano no mesmo lugar e que causa transtornos iguais de ano para ano, é uma catástrofe comparável a um terremoto de grandes proporções que acredite…azar… mas até para terremoto existe tecnologia que pode ser aplicada em obra pública para proteger os cidadãos (veja exemplos em Los Angeles e Tóquio – )

Eu prefiro olhar para o meu arco-íris e acreditar que ele é uma mensagem divina de que eu fiquei livre de uma péssima empregada e que dias melhores virão!

Eu sou um iludido mesmo…

Read Full Post »

Semana passada estive no Rio de Janeiro a trabalho, fui apresentar minha comunicação de pesquisa no E-TIC (assunto para outro post), mas passei antes em BH-Belo Horizonte, Belzonte ou Belô para os íntim0s…

Trânsito em BH - Um salseiro fudido!

Trânsito em BH - Um salseiro fudido!

Minha mulher foi comigo e pensamos: – Por que não vamos por BH de avião? Boa iéia inicial que poderia nos trazer algum conforto ou encurtamento da viagem pensamos nós…

Seria mesmo uma excelente idéia se:

1- não fosse BH, aparentemente, uma cidade anti-turista que é sinalizada para sacanear quem é de fora;

2- se a BR381 não fosse apenas uma ridícula forma de conseguir votos pela sua duplicação há mais de 20 anos com meras maquiagens para conseguir mais votos para a próxima eleição;

3- se o aeroporto da Pampulha tivesse vôos para outros estados;

4- se o aeroporto de Confins fosse administrado por gente interessada em facilitar a vida dos usuários.

5- se BH não precisasse de uma reforma radical…

6- se o atendimento das companhias aéreas fosse um pouco melhor, só um pouco.

7- se a rodoviária também tivesse uma administração preocupada em atender bem o turista.

Contarei sobre algumas situações que explicam meus pontos de vista:

Para começar a sinalização de BH é colocada para confundir e não para facilitar, a placa avisa para entrar à direita e depois que vc entra a sinalização te abandona… e isso para sair do anel rodoviário e ir para Confins que é o aeroporto internacional local!

Sem contar na quantidade de placas colocadas em cima ou depois do entroncamento… só faltando escrever “era ali” completanto com um “otário”.

Outra questão interessante sobre BH é que raramente se pode virar à esquerda e quase todos os retornos te enfiam para dentro de um bairro estranho (claro que é estranho se vc não conhece…) e te abandonam depois de 2 esquinas sem oportunidade de voltar para o caminho que você queria sem ter que parar e perguntar a um assaltante local.

O que eu aprendi sobre sinalização na faculdade me dizia que sinalização era projetada por designers especialistas que tinham o objetivo de facilitar a vida do passante sem que o mesmo tivesse qualquer necessidade de conhecer o ambiente pelo qual está passando ou fazer qualquer pergunta.

Em BH é o oposto… parece que eles lá não gostam de turistas.

A BR-381 deveria ser um post a parte… acidentes todos os dias que param as vias por horas. Voltarei neste assunto de forma mais exclusiva futuramente.

O aeroporto da Pampulha, coitado, foi quase abandonado com a transferência dos vôos domésticos para Confins… isso aumentou o custo das viagens e o tempo, uma vez que Confins é longe “prácaraleo” e não temos vôos regionais para Confins… ou seja… se eu vou de outra cidade que me foda!

Tenho que pagar para ir para Pampulha para depois pagar para ir para Confins.

O serviço de ônibus que liga Rodoviária de BH-Pampulha-Confins é lento e demorado… ficamos presos no ônibus por 1 hora e 15 minutos em dias de pouco trânsito por lá para ir à Confins.

Ah… vamos de carro… OK… na hora de estacionar em Confins a adminstração anti-turista de BH fecha o estacionamento principal, próximo às entradas do aeroporto, e nos obriga a estacionar há 800 metros do aeroporto para carregarmos bagagem por esse espaço sem qualquer proteção das intempéries… sol, chuva ou pedintes.

Tudo isso para quê? Estimular o uso de um estacionamento péssimo, desprotegido e longe.

Sabe o que eu concluo: o administrador Belo Horizontinho não gosta de turistas. Imagino que ele pense que turismo é para desocupados… ou coisa pior…

Na Rodoviária se vc tem bagagem e chegou e vai pegar o ônibus para Confins você é obrigado a subir de ESCADA! E você tem que voltar à rodoviária e comprar a passagem do busum…

ESCADA gente!

Nem uma rampa… e elevador tem 1 sim… que está longe, te obriga a atravessar pistas de ônibus perigosas e o elevador só desce… para subir NECAS!

Você pode ficar lá em baixo e esperar horas pelo elevador que ele só desce se tiver gente para descer e ele só te pega para subir por favor, não adianta apertar o botão lá em baixo que ele não vem se não tiver gente para descer…

Imagino que sejam ordens de economizar o elevador… aquele tipo de economia porca que deixa o cliente com raiva…

BH precisa de uma reforma radical…

Talvez soltando uma Bomba H sobre BH resolvam-se alguns destes problemas… já que são problemas que envolvem pessoas não interessadas em resolver qualquer coisa além dos interesses mais imediatos e, problemas viários muito sérios que são levados como brincadeira pela administração local.

E o turista que se foda!

Resultado… se eu fosse para o Rio de ônibus eu teria mais conforto, gastaria menos tempo e teria menos aborrecimento… mas busum daqui prá lá também é dose… um dia eu conto…

No próximo post eu falarei do Rio de Janeiro…

Read Full Post »

Vou dar meu depoimento pessoal sobre o que vivi nesses dois governos e o que vi muitas vezes parece que só eu vi ou vivi… e quem está por aí parece viver em uma redoma de vidro com lentes distorcidas… mas posso ser eu a pessoa com as lentes distorcidas…

Desde 1991 eu tenho agência de propaganda, tenho não… tive… sempre foi uma agência pequena, para pequenas e médias empresas que trabalhava com um mercado emergente que não tinha verba para propaganda broadcast e precisava lançar mão de campanhas alternativas.

 

 

Guardada por razões histórico-sentimentais... mas fechada desde 2001

 

Quando comecei vivíamos a confusão da inflação sem medidas e os preços de serviços eram cotados em dólar.

Naquela época eu ganhava dinheiro, muito dinheiro, pois os valores eram segurados pela moeda estrangeira e os empresários pequenos e médios tinham, apesar da inflação, ganhos substanciais com o atraso de pagamentos e o investimento no que se chamava “overnight” imagino que isso dava a sobra que eles precisavam para investir em propaganda com alguma tranqüilidade.

Com o advento do plano real, eu festejei a estabilização da economia e quebrei, pois o pequeno e médio empresário não tinha mais verba para investir em propaganda, fiquei 1 ano e meio consumindo minhas reservas na esperança de um reaquecimento da economia que nunca ocorreu…

Em 1997 eu, quebrado, reinventei meus serviços baixando custos e preços, já que meus custos continuavam em dólar e eu recebia em real eu procurei eliminar meus custos para poder ter um preço novamente acessível… desta forma passei a trabalhar por 1/4 do preço original… o que era péssimo, pois eu e meu sócio trabalhávamos 24h por dia de segunda a segunda para poder, minimamente, pagar as contas…

No final do governo FHC o dólar chegou à 3 reais… e ninguém fala nisso… e os impostos continuavam altíssimos, as multas por atraso de impostos tb eram avassaladoras e em 2001 eu fechei as portas da minha agência definitivamente.

Era impossível manter o trabalho e pagar as contas com a economia do jeito que estava, nenhum pequeno ou médio empresário se arriscava a fazer contratos de médio ou longo termo por não saber como seria o futuro…

Resultado, quebrei 2 vezes com o FHC/PSDB. E meus antigos clientes ficaram sofrendo duras penas sem conseguir crescer no período de 1994/95 a 2002.

 

 

Compare sua vida antes e depois...

 

Depois disso no novo governo as coisas foram se acertando, surgiram empregos e os negócios se reestruturaram. Meus antigos clientes até voltaram a me procurar, mas eu não estava mais disposto a investir novamente em um negócio próprio.

Nestes últimos 8 anos o que vi foram passos de crescimento e estabilização seguros, redução do desemprego e reaquecimento da economia.

Não posso crer que em 8 anos de FHC a política da terra arrazada tenha sido a base para o crescimento no governo Lula… aliás, acredito que se o governo FHC tem algum mérito na estabilização da economia foi o de ter saído e deixado o governo Lula trabalhar…

Não sou economista, não sou político, não tenho predileção por nenhum partido, mas atualmente vejo que o Brasil está melhor e não quero que o PSDB junto com o DEM retornem.

Pode ser mero medo de perder tudo outra vez, e até bobagem minha… mas sou grato à estabilidade do governo PT/PMDB.

O que vejo é o país crescendo e o povo reduzindo seu grau de pobreza, com melhoras na Saúde e na Educação e isso não foi feito pelo PSDB.

O PT/PMDB poderia ter feito mais?

Sim, claro. Sempre se pode fazer mais.

Há roubo? Nem precisam me provar judicialmente que eu não sei, mas acredito que há… até nos países do primeiro mundo há roubo…

Mas os níveis de roubo podem ser medidos indiretamente através do nível de desemprego, da inflação, da emissão de moeda, dívida interna e dívida externa e pelo que vi… são os melhores índices que o Brasil já teve desde Pedro II.

Esses índices mostram que esses que hoje aí estão no governo não são perfeitos, mas são os mais baratos que tivemos até hoje… até arrumarem um mais barato eu não quero mudar de governo!

Abraços

Rodrigo Vieira Ribeiro

PS: Por favor… antes de comentarem que “este é o governo mais corrupto que o Brasil já teve” por favor porcurem as notícias sobre corrupção nos governos brasileiros desde o início da República para trazer o dado correto…

Adorei o nível das discussões neste post. Aprendi muito aqui e esclareci muitas idéias que já estavam na minha cabeça mas precisavam presenciar um debate como este aqui para serem consolidadas. 

Vou dar meu depoimento pessoal sobre o que vivi nesses dois governos e o que vi muitas vezes parece que só eu vi ou vivi… e quem está por aí parece viver em uma redoma de vidro com lentes distorcidas… mas posso ser eu a pessoa com as lentes distorcidas…

Desde 1991 eu tenho agência de propaganda, tenho não… tive… sempre foi uma agência pequena, para pequenos e médias empresas que trabalhava com um mercado emergente que não tinha verba para propaganda broadcast e precisava lançar mão de campanhas alternativas.

Quando comecei vivíamos a confusão da inflação sem medidas e os preços de serviços eram quotados em dólar.

Naquela época eu ganhava dinheiro, muito dinheiro, pois os valores eram segurados pela moeda estrangeira e os empresários pequenos e médios tinham, apesar da inflação, ganhos bem substanciais com o atraso de pagamentos e o investimento no que se chamava “overnight” imagino que isso dava a sobra que eles precisavam para investir em propaganda com alguma tranquilidade.

Com o advento do plano real, eu festejei a estabilização da economia e quebrei, pois o pequeno e médio empresário não tinha mais verba para investir em propaganda, fiquei 1 ano e meio consumindo minhas reservas na esperança de um reaquecimento da economia que nunca ocorreu…

Em 1997 eu, quebrado, reinventei meus serviços baixando custos e preços, já que meus custos continuavam em dólar e eu recebia em real eu procurei eliminar meus custos para poder ter um preço novamente acessível… desta forma passei a trabalhar por 1/4 do preço original… péssimo, pois eu e meu sócio trabalhávamos 24h por dia de segunda a segunda para poder pagar as contas…

No final do governo FHC o dólar chegou à 3 reais… e ninguém fala nisso… e os impostos continuavam altíssimos, as multas por atraso de impostos tb eram avassaladoras e em 2001 eu fechei as portas da minha agência definitivamente. Era impossível manter o trabalho e pagar as contas com a economia do jeito que estava, nenhum pequeno ou médio empresário se arriscava a fazer contratos de medio ou longo termo por não saber como seria o futuro…

Resultado, quebrei 2 vezes com o FHC/PSDB. E meus antigos clientes ficaram sofrendo duras penas sem conseguir crescer no período de 1994/95 a 2002.

Depois disso no novo governo as coisas foram se acertanto, surgiram empregos e os negócios se reestruturaram. Meus antigos clientes até voltaram a me procurar, mas eu não estava mais disposto a investir novamente em um negócio próprio.

Nestes últimos 8 anos o que vi foram passos de crescimento e estabilização seguros, redução do desemprego e aquecimento da economia.

Não posso crer que em 8 anos de FHC a política da terra arrazada tenha sido a base para o crescimento no governo Lula… aliás, acredito que se o governo FHC tem algum mérito na estabilização da economia foi o de ter saído e deixado o governo Lula trabalhar…

Não sou economista, não sou político, não tenho predileção por nenhum partido, mas atualmente vejo que o Brasil está melhor e não quero que o PSDB junto com o DEM retornem. Pode ser mero medo de perder tudo outra vez, e até bobagem minha… mas sou grato à estabilidade do governo PT/PMDB.

Se os dados aí em cima são certos ou não…não está na minha competência avaliar, o que vejo é o país crescendo e o povo reduzindo seu grau de pobreza, com melhoras na Saúde e na Educação e isso não foi feito pelo PSDB.

Poderia ter sido feito mais? Sim, claro. Sempre se pode fazer mais. Há roubo? Nem precisam me provar judicialmente que eu sei que há… até nos países do primeiro mundo há roubo… mas os níveis de roubo podem ser medidos através do nível de desemprego, da inflação, dívida interna e dívida externa e pelo que vejo… são os melhores índices que o Brasil já teve desde Pedro II.

Esses índices mostram que esses que hoje aí estão no governo não são perfeitos, mas são os mais baratos que tivemos até hoje… até arrumarem um mais barato eu não quero mudar de governo!

Abraços
Rodrigo Vieira Ribeiro
https://acoisaehpessoal.wordpress.com

Read Full Post »

Me perdoem os ecologistas, os alarmistas e os arautos do apocalipse… mas não haverá fim do mundo, destruição da natureza ou qualquer coisa no gênero.

Se o ser humano for o impecílho, ele será eliminado…

Simples assim… a natureza continua seu ritmo e a vida permanecerá…

Animais são extintos mesmo… aliás… isso até demonstrou que é só positivo. Quem gostaria de conviver com os T.REX ou os Velociraptors? Eu não…

Os nichos ecológicos se reciclam, se reconstroem e se adaptam essa é a lei da natureza! Adaptou… viveu… não adaptou… foi-se! Pode fazer qualquer experiência… a natureza sempre se reequilibra e retoma seu rumo.

Tem aquário em casa?

Aquário é um excelente aprendizado sobre sustentabilidade. Cuidou, fica lindo, não cuidou… lama, mortandade… Mas você pode deixar seu aquário na lama por um tempo enorme…anos até. Quando você resolve que tem que limpar a coisa ainda encontra brotos de plantas e peixes vivendo lá dentro! (fiz isso nesta semana mesmo…) A natureza é mais forte do que pensamos.

A pergunta que, penso ser, necessária fazer é: qual é o preço que nós, humanos, desejamos pagar para continuarmos no planeta?

Se, nós brasileiros,  somos os proprietários da “Rain Forest” e sua extinção (ou redução) provocará o aquecimento global, nada mais lógico que recebermos alguma indenização do mundo desenvolvido para que possamos dar sustentabilidade aos povos que lá vivem para mantê-la.

Somos ou não os donos da última "rain forest"?

Afinal, em tempos de abundância os “grandes desenvolvidos” destruíram suas florestas para alavancar seu desenvolvimento (e já provocaram o aquecimento global, não fomos nós… nós ainda não destruímos o suficiente), tá na hora deles pagarem o preço… de indenizarem o mundo!

Para mim está claro que as diferenças sociais são tão danosas (ou mais) à natureza quanto à poluição ou matança desproporcional de baleias ou a extinção da “Pepeca do fundo do Rio São Francisco” (vide obs. no fim do post).

Se a água potável do planeta está se acabando, e nós, no Brasil, detemos sua maior porção, os preços que praticamos para a venda de horti-fruti, cereais e carne para o mundo estão errados, muito errados… já que 1 kg de cada produto destes consome uma quantidade enorme de água potável que, se for cotado seu preço na Europa, por exemplo, tornaria o custo dessa produção inviável… O preço dos nossos produtos estão defasados em relação ao custo da água na Europa!

Lembremos que eles já acabaram com os mananciais deles… e já se aproveitaram de tudo antes de nós…

Aquífero do Guarani

Aquífero do Guarani

A educação ambiental é necessária, mas não a que está aí disponível, maniqueísta e simplista, que coloca a indústria ou os capitalistas como os únicos culpados. Que diz que a água está acabando e que tudo que acontece de evento climático é por causa da poluição ou por causa do desmatamento da Floresta Amazônica (rain forest).

Me dá embrulho no estômago quando escuto essas “ecologices pobres e direcionadas à públicos ingênuos”.

A Educação é a culpada, o sistema é culpado, nós somos culpados. Passemos a atribuir responsabilidades e não tentemos perder tempo com conscientizações. Se você for responsabilizado você resolve a sua parte. Criemos planos de ação em todos os níveis!

E qual é a sua (ou minha) parte?

Começar a viver melhor na sociedade, mudar o que há de errado em nossas vidas e ensinar aos nossos filhos que é possível viver sem poluir, economizando recursos (desde não quebrar os brinquedos a apagar luzes e reduzir o tempo dos banhos).

Compre menos embalagens, ou compre mais embalagens reutilizáveis ou biodegradáveis. Consuma mais produtos naturais ou aqueles da moda chamados “orgânicos”. Cuide do seu jardim em casa ou no apartamento. Plante mais. Viva mais tranquilo em um ambiente “menos”.

Aceite menos a obrigatoriedade de “engolir sapos” e aceitar injustiças em silêncio. Cada vez que você se cala, os outros poluem seu ambiente e reduzem sua capacidade de viver melhor. Calado e frustrado você tende a consumir mais produtos fúteis e poluentes para compensar alguma coisa…

Se você é empresário pense que salários mais justos para seus empregados geram melhor produtividade, mais tranquilidade entre eles e menor poluição. Se sua empresa polui comece a repensar seus despejos industriais e invista na qualidade de vida e de saúde dos seus vizinhos, você pode ganhar menos imediatamente, mas vai ganhar mais ao longo do tempo.

Se você é político, roube menos, pense que se você tirar tudo do povo e não colocar nada no lugar cedo ou tarde isso se voltará contra você e sua família. Se você é do tipo de político que não rouba, trabalhe por mais qualidade de vida e mais justiça social para os seus eleitores. Discurse menos, prometa menos, mas cumpra suas promessas. Pense que seu bom trabalho aparecerá para seu eleitor e que esse é seu emprego e seu eleitor é seu patrão!

Político: Você não está dando nada para o povo, está apenas cumprindo suas obrigações para merecer mais tempo no seu emprego.

Se você tem escritório e usa seu computador imprima menos, use os dois lados do papel, use rascunhos e depois leve seu papel para escolas que transformam papel em brinquedos, esculturas e aprendizagem…

Se você tem uma escola, mantenha um centro de reciclagem e crie experimentos com os seus alunos com o material que aparecer. Mas não envie para a casa dos alunos que precisa de 2 potes de maionese e 2 caixas de sucrilhos de cada aluno pois se essa família não consome esse tipo de produto terá de comprá-lo para “criar o lixo” que você precisa para “reciclar” e isso não me parece muito inteligente… não acha?

Professor, na escola, quando você for realizar experimentos planeje com antecedência e divida inteligentemente os materiais entre os seus alunos, nada pior que, para fazer um vaso com flores na escola, ou um terráreo, cada pai ter que comprar TODO o material e depois sobrar 3kg de cada componente se poderíamos ter dividido entre todos e menos pais sairiam para comprar, menos gasolina e tempo seria gasto, menos sapato, menos poluição e menos sobras de tudo…

Pratique mais a política do ganha-ganha, uma coisa quando é boa, tem que ser boa para todos.

São coisas pequenas que podem ser feitas e atitudes a serem tomadas individualmente que podem resolver nossas questões e evitarmos a extinção deste animal humano que somos nós!

***********************

OBS: Não… não existe a “Pepeca do fundo do Rio São Francisco”… e ela não foi extinta… é apenas um nome que já foi levantado em uma discussão polêmica que tive com um “ecologista do B”, explico e conto essa história uma outra hora…

***********************

Read Full Post »

Mesmo com tantas confusões entre políticos, julgamentos furados, crimes mal resolvidos e desmandos de todo tipo, a verdade está cada dia mais na moda.

O empregado, o cliente, o consumidor, a audiência, o cidadão não dá mais tanta trela às balelas.

Está na hora de começar a demitir os gerentes que escondem resultados negativos de suas administrações, de limpar os espaços de trabalho comandados por gente que não pensa na coletividade, de parar de comprar produtos e contratar serviços de empresas que poluem.

Mas essa atitude, de limpar os espaços depende exclusivamente de cada um. Da atitude individual de recusar produtos e explicações furadas. De parar de escutar lamentos pobres de gente que se faz de vítima na hora que é descoberto.

Ah, ele teve uma vida difícil, família em dificuldades, tudo bem, mas não justifica matar ou passar por cima dos outros.

A “empresa” quis que ele tomasse essa ou aquela decisão, foi a “norma”, sempre a “empresa”, nunca tem nome… ou as normas não escritas nunca tem responsável?

É assim mesmo que os irresponsáveis cometem todo tipo de arbitrariedade prejudicando pessoas, famílias, empresas colocando a culpa nos outros dos absurdos que eles mesmos promovem.

No filme “Advogado do Diabo” o discurso final do personagem do Al Pacino (a personificação que recebe o nome de Milton) ele fala uma grande verdade sobre o assunto: Não é o Diabo quem os leva à fazer as coisas erradas, mas vocês querendo agradá-lo, vocês que pensam que ele se satisfaz através das atitudes maléficas, e quando são pegos os humanos jogam a culpa nele. No mesmo discurso ele diz que a vaidade é o pecado favorito dele, pois a vaidade leva às pessoas à cometer todo tipo de absurdos.

Sim, vamos parar de permitir que as pessoas culpem as estruturas empresarias e do governo de seus atos (normalmente atos que geram vantagens pessoais).

Estamos todos conectados, o mundo, as políticas, a natureza, as pessoas, as empresas… tudo está conectado, o que fazemos ou deixamos de fazer se reflete em tudo o que acontece em nossa sociedade.

Não comprem produtos de empresas que poluem, não vistam camisas de idéias que prejudicam o povo, não escute o choro das pessoas que querem se livrar da responsabilidade de seus atos.

Todos tem a chance de mudar o mundo e fazer diferente diversas vezes por dia, comece já! O fazer igual até hoje não deu certo e, compactuar com o que é errado, para auferir vantagens pessoais imediatas, parece até que pode ser enquadrado como crime de formação de quadrilha!

Pense nisso… mude seu ambiente hoje!

Read Full Post »

Older Posts »

%d blogueiros gostam disto: